Stock Car

  • Crédito: Divulgação/Hyset

    Paciente, Bia Figueiredo aguarda desfecho sobre seu futuro na Stock Car.
  • Crédito: Divulgação/Hyset

    Após casamento, Bia Figueiredo comemora chances de continuar no turismo.

Bia perto de permanecer na categoria

Currículo e patrocínios devem garantir mais uma temporada para única mulher do grid
Por: Thiago Pereira - 21/01/2016 12:18:29

Após selar os 14 anos de namoro com o empresário Fábio Souza na igreja Nossa Senhora do Brasil no início de 2016, em São Paulo-SP, Bia Figueiredo concedeu entrevista exclusiva ao RMS e afirmou que está com o futuro praticamente garantido na Stock Car.

Dona de patrocínios de peso no ano passado, como os postos Ipiranga, a Bombril e a Bardhal, a única mulher entre os 33 pilotos da categoria revelou estar em negociações para lá de avançadas para continuar pisando fundo nos circuitos brasileiros. “De 0 a 10, posso garantir que estou com 9,5 de chances de ir para minha terceira temporada na Stock Car”, conta.

Apesar do mau retrospecto dos anos anteriores - terminou as temporadas 2014 e 2015 na penúltima colocação -, Bia tem a seu favor um currículo invejável, com boa passagem pela divisão de base da Fórmula Indy e experiência na principal categoria de monopostos norte-americana. “As equipes sabem do potencial que tenho, apesar de ainda não ter conseguido demonstrar com os carros de turismo. Além disso, o fato de ser mulher é um diferencial para atrair novos negócios para a categoria, coisa que outros pilotos não conseguiriam", comenta. 

Radicada no Rio de Janeiro-RJ, a paulista lamentou a perda do autódromo de Curitiba e o frequente desmanche das pistas nacionais. “Perdemos um dos três melhores autódromos do país. O empresariado e a iniciativa privada precisam se envolver mais com o automobilismo para ajudar a manter as pistas”, sugere.

Com destino incerto na União Química Racing, equipe pela qual correu no ano passado, Bia comemora as vagas remanescentes no grid - ao menos sete vagas ainda estão indefinidas. “Se continuar na União Química, ótimo. No entanto, há diversas vagas abertas que estão para ser negociadas", revela a piloto que participou de uma reunião com seus patrocinadores na manhã desta quinta-feira. 

Aos 30 anos, Bia, agora mais experiente na Stock, espera conseguir completar provas entre os top 5 da categoria. "Ano passado fui atrapalhada por diversas quebras. Em 2016, o objetivo será sempre estar entre os dez ou cinco melhores da categoria", projeta a piloto, que está empolgada para sua 3ª temporada na principal categoria de carros de turismo do país.

 

Compartilhe



Veja também...

    Deixe um comentário

    Seu e-mail não será publicado. Campos Obrigatórios *