Fórmula 1

  • Crédito: McLaren

    McLaren: Honda despeja US$ 100 milhões por ano na escuderia.

McLaren dependente da Honda

Apesar de sonhar com motor Mercedes, escuderia é financeiramente vulnerável sem japoneses
Por: Redação - 16/03/2017 14:54:19
291 visualizações

A McLaren foi a equipe mais lenta nos testes da pré-temporada da Fórmula 1. Seu tempo de volta chegou a 2,7 segundos mais devagar que o da Ferrari. O problema está na incapacidade do motor Honda de gerar potência. Isso levou a escuderia a cogitar uma troca por propulsores Mercedes. Só que não. Hoje a McLaren é dependente financeiramente dos japoneses.

A fábrica coloca US$ 100 milhões por ano na McLaren. Além disso, paga metade dos salários dos pilotos – Fernando Alonso e Stoffel Vandoorne. Em 2015, quando assinou o contrato, Ron Dennis alegou que não seria mais possível ganhar na F1 se não estivesse atrelado a uma fábrica, como eram Mercedes e Ferrari.

Além disso, o acordo é cômodo para os principais acionistas da McLaren: o fundo de investimentos Mumtalakat, do Bahrein, e o empresário saudita Mansour Ojjeh, do Ojjeh's TAG Group. O Mumtalakat detém 50%, Ojjeh's TAG Group 25% e os 25% restantes pertencem ao ex-presidente executivo, Ron Dennis – fora do comando da equipe desde janeiro deste ano.

Com a presença da Honda, os investidores praticamente desconhecem prejuízo, independentemente do resultado dos carros nas pistas. Em quanto isso, a McLaren amarga um jejum de vitórias que já vai para cinco anos. O triunfo mais recente ocorreu no GP Brasil de 2012, com Jenson Button e motor Mercedes.

Compartilhe



Veja também...

    Deixe um comentário

    Seu e-mail não será publicado. Campos Obrigatórios *

    Publicidade
    Publicidade
    Publicidade