Fórmula 1

  • Crédito: Getty Images Sport

    Berger acredita que Ferrari tem que seguir exemplos das concorrentes.

Berger: "Binotto sozinho não é suficiente para a Ferrari"

Austríaco acha que a Ferrari teria que colocar mais "feras" juntos a Binotto, como tinha Schumacher
Por: Redação e agências - 20/04/2019 14:39:13

A dupla função de Mattia Binotto, que assumiu a liderança da Ferrari na pista (após a demissão de Maurizio Arrivabene) para dividir com o seu papel anterior de diretor técnico, é visto por muitos como um lastro para o bom funcionamento da equipe italiana.

Isso foi destacado por Flavio Briatore há alguns dias, e Gerhard Berger menciona isso agora. "Normalmente na Ferrari alguém assume toda a responsabilidade. Quando você olha para a Red Bull, você tem o gênio de Adrian Newey, um capacitado Christian Horner e  o tubarão, Helmut Marko", disse berger ao Motorsport. com.

"Na Mercedes, Toto Wolff, é altamente capacitado. Mas tem ao lado, no assunto motor, tem a Andy Cowell. E Niki Lauda, ​​que infelizmente não está aqui agora. Na Ferrari você vê Binotto sozinho. Eu não sei se isso é suficiente" exemplifica o ex-piloto da Ferrari entre 1993 e 1995.

"Eu acho que Binotto é um grande treinador. É importante não gastar muito tempo em conversações políticas ou qualquer outra coisa, e depois ficar sem tempo para o principal (a direção técnica e desenvolvimento do carro)", disse Berger, em um pensamento muito semelhante ao de Flavio Briatore.

Berger lembrou que em outro momento, a Ferrari diversificou suas posições com pesos pesados ​​em cada campo. "Na época de Schumacher, havia três pessoas: Rory Byrne, o gênio da época, Ross Braen, e Jean Todt, que lidavam com o lado político e as normas. Uma das grandes fortalezas do Michael era que eles sabiam como manter as pessoas unidas para tirar o máximo proveito delas ", explica Berger.

"Quando Michael foi para a Ferrari disse: 'Ross, você está vindo comigo, Rory, você vem comigo'. Nisso, ele era muito bom e é uma vantagem sobre Vettel. Michael foi fantástico em montar sua equipe", lembra ele.

"Eu não sei quem vai adotar determinados papéis na Ferrari, porque se tudo cair para Binotto será um pouco pesado", prevê o austríaco.

Compartilhe



Veja também...

    Deixe um comentário

    Seu e-mail não será publicado. Campos Obrigatórios *

    Publicidade
    Publicidade
    Publicidade