Fórmula 1

  • Crédito: Getty Images Sport

    Lauda faleceu, aos 70 anos, e deixou uma bela história na F1.

Aos 70 anos, morre Niki Lauda

Lendário, autríaco marcou época na Fórmula 1 e foi tricampeão pela Ferrari e McLaren
Por: Redação e agências - 20/05/2019 21:59:59

O automibilismo mundial perdeu nesta segunda-feira (20) um dos maiores nomes da história, o austríaco Niki Lauda. O tricampeão mundial de F1 faleceu aos 70 anos. No início do ano, o ex-piloto teve uma gripe forte após fazer um transplante de pulmão e vinha fazendo hemodiálise. Em 1997 e 2005, o austríaco havia feito transplante de rim.

Lauda foi tricampeão de F1 nas temporadas 1975, 1977 e 1984. As duas primeiras pela Ferrari e a última, pela McLaren. Ele é o único piloto campeão mundial pela Ferrari e McLaren. A aposentadoria aconteceu em 1985.

A familia do tricampeão soltou uma nota, através de um e-mail, onde comunicava o falecimento de Niki Lauda:

"Com profunda tristeza, anunciamos que nosso amado Niki morreu pacificamente com sua família na segunda-feira, 20 de maio de 2019. Suas realizações únicas como atleta e empreendedor são e permanecerão inesquecíveis; seu incansável entusiasmo pela ação, sua franqueza e sua coragem permanecem um modelo e uma referência para todos nós. Era um marido amoroso e atencioso, pai e avô longe do público, que sentirá sua falta".

Em 1977, Lauda sofreu um grave acidente, em uma prova na Alemanha, quando sofreu graves queimaduras, mas de forma surpreendente, ele conseguiu voltar e ainda terminar a temporada, em que disputou o título com o britânico James Hunt, da McLaren. Abaixo, um depoimento dele sobre o acidente:

"Eu tive muitas queimaduras, mas me recuperei rápido. Aquilo demorou a passar, mas eu ainda estou aqui. E tenho que dizer: não, nunca tive medo. Eu estava nas mãos de ótimos especialistas e coloquei minha confiança neles. Sabia que aquele tempo demoraria, mas a única coisa que eu poderia fazer era lutar".

O último título de Lauda, em 1984, pela McLaren, foi emocianante e decidido por 0,5 ponto, adquirido por causa da polêmica vitória de seu adversário e compnheiro de equipe, o francês Alain Prost, no GP de Mônaco, quando pediu e conseguiu a bandeirada antes do final da corrida e assim ficou com somente metade dos pontos. O austríaco conquistou cinco vitórias, contra sete do piloto da França, mas ficou com o título graças a meio ponto de vantagem.

Nos últimos anos, ele vinha exercendo a função de presidente de honra da equipe Mercedes, que vem dominando a F-1 nos últimos anos. Lauda atuava quase como um conselheiro de luxo, próximo ao chefe de equipe Toto Wolff e aos pilotos, o inglês Lewis Hamilton e o finlandês Valtteri Bottas.

Compartilhe



Veja também...

2 Comentários

  1. NilsonDiz:

    Cresci ouvindo e assistindo este mito do esporte. O exemplo de superação e de caráter, transmitido por ele, Nike Lauda, marcou minha vida. Deus Te acolha amigo!!!!!!

  2. gildemarDiz:

    descanse em paz

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos Obrigatórios *

Publicidade
Publicidade
Publicidade