Fórmula 1

  • Crédito: Getty Images

    Max Verstappen estreou na F1 em 2015, aos 17 anos e 166 dias.

Toto Wolff afirma Verstappen chegou "cedo demais" à F1

Chefe da Mercedes disse que a equipe não estava pronta para o holandês
Por: Murilo - 18/09/2019 07:00:00

O piloto holandês Max Verstappen chegou à Fórmula 1 “cedo demais”. Ao menos para a Mercedes. A avaliação é do chefão da equipe, Toto Wolff. Para o dirigente, o time alemão não estava pronta para Verstappen. Segundo Wolff, na época em que Max fechou com a Red Bull, a Mercedes não tinha o que oferecer, pois não contava com uma estrutura para jovens pilotos.

“Antes de mais nada, me deixe dizer que o menino do passado é agora um jovem excepcional. Na Red Bull, Max teve tempo para se desenvolver. Na Toro Rosso e também na Red Bull, ele pôde cometer erros ― como o do GP do Azerbaijão do ano passado, com Daniel Ricciardo”, disse Wolff, em entrevista ao site holandês ‘RacingNews365’.

“A maioria dos pilotos passa por uma curva de aprendizado, mas o passo adiante que deu do ano passado para agora foi muito impressionante, ainda que algumas de suas asas dianteiras fiquem danificadas no caminho”, completou.

Verstappen estreou na F1 em 2015, aos 17 anos e 166 dias. Ao ser perguntado se tinha algum arrependimento por não ter garantido uma ligação entre Verstappen e a Mercedes, Wolff foi enfático.

“Não. Tudo acontece por uma razão. A Red Bull deu tempo para o menino se desenvolver. Na época, não tínhamos instalações, estrutura para novatos. O foco da Mercedes era vencer corridas e campeonatos como um time, todas as coisas que eram muito novas para nós”, justificou.

Mesmo assim, Toto Wolff não negou o interesse do seu time no filho de Jos Verstappen. Aliás, o dirigente já esteve em contato algumas vezes com o pai do piloto holandês, figura carimbada da F1 nos anos 1990 e início dos anos 2000. “Claro, todo mundo sabe que queremos ‘o próximo Max’, mas posso dizer que já têm alguns vindo por meio do nosso programa de treinamento. Mas o primeiro e único Max Verstappen chegou à F1 cedo demais para nós. Não estávamos prontos”, concluiu.

Compartilhe



Veja também...

    Deixe um comentário

    Seu e-mail não será publicado. Campos Obrigatórios *

    Publicidade
    Publicidade
    Publicidade