Fórmula 1

  • Crédito: Saeed Khan/AFP

    Largada do GP da Austrália, com Sebastian Vettel pulando na frente.
  • Crédito: Saeed Khan/AFP

    No rebolo, a Sauber de Felipe Nasr precisou se resguardar de todos os rivais.
  • Crédito: Peter Parks/AFP

    McLaren de Fernando Alonso, antes do acidente, quando ele estava entre os dez.
  • Crédito: Joe Castro/EFE

    Destroços da McLaren de Fernando Alonso, após pancada que assustou a todos.
  • Crédito: Julian Smith/EFE

    Nico Rosberg optou por pneus médios na hora certa e garantiu a vitória.
  • Crédito: Srdjan Suki/EFE

    Alonso ao deixar a McLaren, que virou um amontoado materiais retorcidos.
  • Crédito: Peter Parks/AFP

    Empolgado, Nico Rosberg comemora vitória na largada da temporada 2016.

Nico Rosberg vence GP da Austrália

Alemão usa melhor a estratégia de pneus e supera Lewis Hamilton e Sebastian Vettel
Por: Redação - 20/03/2016 02:33:37

O alemão Nico Rosberg venceu na madrugada deste domingo (horário de Brasília) o GP da Austrália, disputado no circuito de Albert Park, em Melbourne. O piloto da Mercedes-Benz usou a estratégia de troca de pneus para se dar bem sobre seus principais rivais: o companheiro de equipe, Lewis Hamilton, e o compatriota da Ferrari, Sebastian Vettel, que completaram o pódio. Rosberg, que terminou a temporada 2015 mostrando vontade de vencer, começou 2016 no mesmo ritmo. Se mantiver consistência, induz que o campeonato será disputado. O brasileiro Felipe Massa fechou a prova na 5ª colocação.

Na largada do GP da Austrália, no circuito de Albert Park, uma das primeiras mudanças no regulamento foi sentida pela Mercedes-Benz. Sem a ajuda do rádio para ditar o giro do motor, as Flechas Prateadas de Lewis Hamilton e Nico Rosberg foram surpreendidas pelas Ferrari de Sebastian Vettel e Kimi Raikkonen, que pularam na frente, dando emoção ao começo da corrida. Surpreendente também foi o salto dado pela Toro Rosso de Max Verstappen. O brasileiro Felipe Massa manteve na 6ª colocação na primeira volta.

No rebolo, o outro brasileiro na F1 - Felipe Nasr, da Sauber -, que havia largado em 17º, precisou se cuidar na primeira curva para não tocar e não ser tocado por outros pilotos. O GP da Austrália começou sem grandes incidentes, mas as 58 voltas foram reduzidas a 57, pois a Red Bull de Daniil Kvyat teve uma pane quando estava no grid e precisou ser retirada. Com isso, foi autorizada mais uma volta de aquecimento antes da largada oficial.

O momento crítico da corrida aconteceu logo após a 16ª volta, quando Fernando Alonso foi tentar o bote em cima da Haas de Estebán Gutierrez e viu sua McLaren decolar rumo à proteção de pneus. A roda dianteira esquerda do carro #14 colidiu com a traseira direita do piloto mexicano e o equipamento ficou desgovernado. A Haas parou no banco de areia e a McLaren decolou, destruindo-se contra os pneus. Alonso saiu mancando, meio zonzo, mas nada de mais grave ocorreu com o espanhol. A corrida teve bandeira vermelha por 20 minutos e nova relargada.

No reinício da corrida começou a prevalecer a estratégia de pneus. Quem optou pelos compostos médios passou a obter voltas mais rápidas e a pressionar os ponteiros que estavam com pneus macios. Foi o caso de Nico Rosberg, Lewis Hamilton, Felipe Massa e Romain Grosjean. O maior prejudicado foi Sebastian Vettel, que estava com macios, e acabou perdendo a liderança nos boxes, pois precisou de uma parada a mais. Mas ele ainda se deu melhor que seu companheiro de Ferrari, Kimi Raikkonen, que teve problemas no motor e precisou abandonar a prova.

Diante de todos os imprevistos oferecidos pela corrida, a Mercedes-Benz mostrou sua consistência e conseguiu consolidar mais uma dobradinha. Isso, quando, em determinados momentos da prova, dava a impressão que a escuderia não conseguiria escapar de um vexame. Lewis Hamilton, por exemplo, chegou a andar na oitava colocação. Nico Rosberg, mais eficaz, mereceu a vitória, enquanto a Ferrari de Sebastian Vettel deixou escapar a vitória por erros de estratégia.

Confira o resultado do GP da Austrália
1. Nico Rosberg (GER/Mercedes), 302,271 km, em 1h48min15s565 (167.526 km/h)
2. Lewis Hamilton (GBR/Mercedes), a 8s060
3. Sebastian Vettel (GER/Ferrari), a 9s643
4. Daniel Ricciardo (AUS/Red Bull), a 24s330
5. Felipe Massa (BRA/Williams), a 58s979
6. Romain Grosjean (FRA/Haas), a 1min12s081
7. Nico Hülkenberg (GER/Force India), a 1min14s199
8. Valtteri Bottas (FIN/Williams), a 1min15s153
9. Carlos Sainz Jr (ESP/Toro Rosso), a 1min15s680
10. Max Verstappen (NED/Toro Rosso), a 1min16s833
11. Jolyon Palmer (GBR/Renault), a 1min23s399
12. Kevin Magnussen (DEN/Renault), a 1min25s606
13. Sergio Perez (MEX/Force India), a 1min31s699
14. Jenson Button (GBR/McLaren), a 1 volta
15. Felipe Nasr (BRA/Sauber), a 1 volta
16. Pascal Wehrlein (GER/Manor), a 1 volta
Não classificaram
Rio Haryanto (INA/Manor), a 18 voltas
Kimi Raikkonen (FIN/Ferrari), a 22 voltas
Fernando Alonso (ESP/McLaren), a 30 voltas
Esteban Gutierrez (MEX/Haas), a 30 voltas
Marcus Ericsson (SWE/Sauber), a 39 voltas
Daniil Kvyat (RUS/Red Bull), a 57 voltas

Compartilhe



Veja também...

    Deixe um comentário

    Seu e-mail não será publicado. Campos Obrigatórios *