Fórmula 1

  • Crédito: Valery Hache/AFP

    Lewis Hamilton e Daniel Ricciardo no visual indescritível de Mônaco.

Lewis Hamilton se reencontra com a vitória

Britânico reduz vantagem de seu companheiro de equipe, e líder, Nico Rosberg, que foi 6º
Por: Redação - 29/05/2016 10:59:33

O britânico Lewis Hamilton, da Mercedes-Benz, voltou a vencer, depois de oito corridas. Desde o GP dos Estados Unidos de 2015 ele não sabia o que era cruzar a linha de chegada em primeiro. A segunda vitória em Mônaco se deu com a ajuda da chuva e da estratégia de pneus. O pódio foi completado por Daniel Ricciardo, da Red Bull, e Sergio Perez, da Force India.

Mônaco amanheceu com chuva e a largada foi com safety car. Assim Max Verstappen, que sairia do pit lane, retrocedeu e entrou na formação do grid, em 21º. Como o spray estava forte, o carro de segurança se manteve por sete voltas na pista, até a largada. Com sinal verde, houve a primeira batida. Jolyon Palmer, da Renault, aquaplanou e foi parar no guard-rail.

O mesmo ocorreu com Kimi Raikkonen, que perdeu o bico da Ferrari e abandonou na volta 8. O safety car retornou à pista e voltou a embaralhar os carros na pista. Ao mesmo tempo, o circuito começou a secar e levou os pilotos a procurarem os boxes para trocar os pneus de chuva intensa por intermediários.

Entre os ponteiros, porém, ninguém optou pela troca. Daniel Ricciardo manteve sua tocada, trazendo Nico Rosberg e Lewis Hamilton atrás. A Mercedes do alemão apresentou baixo desempenho e cedeu posição para o britânico, que passou a tirar a diferença para a Red Bull que liderava a prova.

Sentindo que não poderia perder tempo, Ricciardo foi para os boxes e colocou pneus intermediários. Hamilton assumiu a liderança com compostos para chuva intensa, mas a pista começou a secar rapidamente a partir da 24ª volta, com até o Sol aparecendo. A guinada meteorológica obrigou os carros a procurarem os boxes novamente para trocar pneus.

A maioria optou por compostos ultramacios, como foi o caso de Lewis Hamilton, que segurou até quase a metade da prova para trocar seus pneus. Na sequência, Daniel Ricciardo também substituiu os compostos, mas por macios. No entanto, o erro da equipe, que não estava 100% preparada para a troca, impediu que ele voltasse na frente.

Enquanto isso, Nico Rosberg, com problemas de desempenho em sua Mercedes-Benz, passou a apostar na estratégia de somar pontos, contentando-se com o 6º lugar. Já Lewis Hamilton, mesmo pressionado por Ricciardo, manteve-se na liderança, enquanto lá atrás a Sauber proporcionou a cena mais inusitada da corrida: disputando o 15º lugar, Felipe Nasr e Marcus Ericsson, companheiros de equipe, acabaram se enroscando.

Os dois abandonaram a corrida, deixando apenas 15 carros na prova. Entre eles, a Force India de Sérgio Perez, que foi a surpresa da corrida, chegando na terceira colocação e garantindo o 6º pódio de sua carreira. Com a vitória, Lewis Hamilton reduziu a vantagem de Nico Rosberg para 24 pontos. Os carros da F1 voltam a competir daqui a duas semanas, no GP do Canadá. Felipe massa curzou a linha de chegada em 10º.

Compartilhe



Veja também...

    Deixe um comentário

    Seu e-mail não será publicado. Campos Obrigatórios *